PIX: o novo sistema de pagamentos instantâneos

Colaboradora de uma floricultura com um notebook no balcão.

Sistema foi desenvolvido pelo Banco Central do Brasil

 

As novas tecnologias levaram o sistema financeiro a repensar suas operações, especialmente com o aumento da procura dos clientes por soluções de pagamentos mais simples, rápidas, econômicas e seguras. Se por um lado, instituições financeiras atualizadas utilizam a tecnologia a seu favor para otimizar as atividades e conseguir mais negócios, empresas sem planos de inovar vão perder oportunidades.

 

O Banco Central do Brasil agiu rápido e a resposta para esse desafio é uma sílaba que você ainda vai ouvir muitas vezes: PIX. O sistema, desenvolvido pelo Banco Central, possibilitará a utilização dos pagamentos instantâneos. São movimentações feitas em poucos segundos, a qualquer hora do dia e para qualquer instituição financeira. 

 

O PIX terá um forte impacto na economia nacional e é uma ótima iniciativa do Banco Central para trazer aos brasileiros uma forma eficiente de lidar com o dinheiro e experimentar as vantagens da tecnologia no dia a dia, com mais competitividade e agilidade.

 

Aqui na BluPay, estamos atualizados com as principais novidades para desenvolver soluções de pagamentos instantâneos. Com este post, nosso intuito é que você saiba mais sobre:

 

  • PIX e os objetivos do Banco Central;
  • O desenvolvimento do PIX;
  • O que vai mudar com o PIX?

 

PIX e os objetivos do Banco Central

 

Cartões sem anuidade, cashbacks, carteiras digitais, empréstimos por aplicativo. Quantas vezes você se deparou com opções assim na hora de planejar suas finanças? Muitas instituições financeiras levaram a uma ampla audiência soluções mais vantajosas e inclusivas. Operações com tarifas reduzidas e mais rápidas, antes restritas ao cumprimento de muitas exigências, como ter conta em banco, começaram a se popularizar.

 

O Banco Central encontrou no cenário de mudanças o apoio necessário para um de seus principais objetivos: a democratização do sistema financeiro. É de interesse da instituição que o dinheiro circule mais rápido e que as novas ferramentas façam cada vez mais parte da rotina dos brasileiros, movimentando a economia.

 

Para desenvolver soluções concretas, foi inaugurado o LIFT, o Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas, coordenado pelo Banco Central e pela FENASBAC (Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central). Em uma iniciativa agregadora, participaram empresas interessadas em compartilhar soluções com setor, fomentando o intercâmbio de ideias.

 

O PIX é a soma de uma atitude inovadora com os objetivos do Banco Central, e traz a tecnologia dos pagamentos instantâneos para a economia nacional. São pagamentos com mais velocidade, economia e segurança.

 

O desenvolvimento do PIX

 

Para desenvolver o PIX, o Banco Central considerou os principais conceitos e tecnologias dos pagamentos instantâneos, como o Open Banking, o QR Code e sua capacidade em consolidar informações sobre as principais instituições financeiras do país (temos um post no blog sobre isso, confira).

 

Quais instituições financeiras podem participar?

 

O Banco Central estruturou seu ecossistema de pagamentos instantâneos, classificando como será a participação das empresas.

 

São considerados participantes diretos, instituições financeiras ou de pagamento que têm conta no Banco Central. Geralmente, bancos com maior faturamento ou número de clientes. Instituições com ao menos 500 mil contas ativas (considerando contas de depósito à vista, cadernetas de poupança e contas de pagamento pré-pagas) deverão aderir ao PIX.

 

Participantes indiretos ainda não têm conta no Banco Central e precisam interagir com participantes diretos para registrar suas movimentações na plataforma principal, intitulada infraestrutura de liquidação.

 

Também estão classificados os provedores de serviços de iniciação de pagamento. A nova modalidade deve ser representada pelas fintechs, que serão responsáveis pela “ponte” entre os pagamentos dos clientes e as instituições financeiras, mesmo aquelas em que o cliente não tenha conta. São muitas novas oportunidades para o setor.

 

A classificação não é para dividir, mas sim para somar esforços. A ideia é que todos tenham a sua contribuição na popularização das soluções de pagamentos instantâneos.

 

Como começou a parceria do Banco Central com as empresas?

 

Muitas das principais conversas com as empresas interessadas em trazer novidades para o sistema financeiro foram no LIFT. O Banco Central realizou um processo seletivo de empresas e soluções, onde se inscreveram fintechs em diversos setores, como infraestrutura, crédito e investimento. Os melhores projetos foram aprovados para participar.

 

No LIFT, foi intensificado o diálogo entre o Banco Central e as empresas, para que os produtos em desenvolvimento já considerassem os requisitos estabelecidos pela instituição, facilitando a integração ao PIX. A expectativa para a homologação dos pagamentos instantâneos é novembro de 2020.

 

O que vai mudar com o PIX?

 

O PIX é uma ótima notícia para muita gente. De alguma forma, quase todos que fazem ou recebem pagamentos têm vantagens. Um sistema inclusivo e menos burocrático, com ampliação da velocidade e redução nas tarifas, desenvolvido para agilizar movimentações e fomentar a economia.

 

Então, o PIX é um aplicativo do Banco Central?

 

Não. O PIX é um sistema que possibilitará a realização das movimentações. O PIX será integrado a aplicativos de fintechs, bancos e instituições de pagamentos e financeiras, e seu funcionamento vai oportunizar as operações de pagamentos instantâneos no Brasil, trazendo mais competitividade para o setor.

 

São transferências entre pessoas, pagamentos de faturas, diminuição de despesas nas operações e comunicação entre contas de diferentes bancos e empresas, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

 

Entendemos como isso é importante para a economia e estamos muito animados com a mudança. Somos participantes do LIFT e, em março, no LIFT Day 2020, apresentamos a nossa solução de pagamentos instantâneos já adaptada ao PIX. O objetivo é levar as vantagens da tecnologia para empresas, autônomos, bancos e clientes.

 

Continue visitando o blog para mais notícias do setor de pagamentos instantâneos e novidades sobre as soluções da BluPay: www.blupay.com.br